segunda-feira, 22 de março de 2010

This is a call


Às vezes parece-me que há alguém a brincar com isto tudo,a controlar tudo que não importa tudo o que eu faça estou a encaminhar-me para um determinado fim,sinto-me completamente a flutuar,não consigo perceber ou figurar o que se passa comigo,é irremediavelmente estranho...Sinto-me diferente...Pareço um interruptor inconstante que ora acende ora apaga e não consigo controlar nada.Por momentos dá ideia que me fazem sentir outra vez mas então caio nos retalhos da penumbra e sou interrompido.Parece que parti dum momento em que conseguia ver cores e sentir mas de repente desvaneceu tudo...E quando desvanece tudo parece que não há alegria em nenhum lado.Por mais que eu ria,por mais que me contem piadas,por mais que tentem há alturas em que gostava que me reactivassem por completo,que me fizessem reanimação cardíaca e que eu deixasse de ser "zombie" em que não estou nem vivo nem morto,estou a tentar redefinir-me mas não depende nada de mim...Ajuda-me.

domingo, 21 de março de 2010

Fact #2

"O que fizeste para a mulher, isso ela pode esquecer, mas nunca esquecerá aquilo que para ela não fizeste."

(André Maurois)

quarta-feira, 17 de março de 2010

Fact #1

"Não há nada mais duro do que a suavidade da indiferença"
Juan Montalvo

domingo, 7 de março de 2010

What if?

Às vezes questiono-me que os pequenos actos podem dar sequência a uma série de grandes consequências...Outro dia estava a fazer uma retrospectiva de mim e no que fiz no verão e o que isso influenciou a minha vida para o resto e como está neste momento.

Lembro-me de há mais ou menos um ano ter conhecido o Rafa em Processos de Fabrico I,ele entrou no mesmo ano que eu no curso mas até então nunca tinha tido contacto com ele.Ele falou comigo porque estava fulo com o que lhe tinha acontecido.Aleatoriamente tinha calhado com dois estudantes de Erasmus,um turco e um brasileiro e estava a tentar recuperar de uma depressão.Eu e o Rafa começámos a falar cada vez mais e construímos uma boa amizade.
Passadas semanas,certo dia na faculdade estávamos no bar e eu entretido a conversar com colegas da faculdade,não me lembro bem quem talvez o Lebre e o Espinho nesse momento estivessem a conversar comigo,de repente o Rafa passa-me o telemóvel e eu olho e dizia Joana e digo "Sim?" e ouço do outro lado "Luís?Olha o Rafa disse-me que tu percebias bastante de matemática podes-me explicar matéria sobre programação linear que eu tenho amanhã teste?" e eu disse "Ok é na boa...Combinamos então para a noite.".Nesse dia fui jantar fora e veio a Pipas buscar-me e no carro já estava o Rafa e a Joana.Fomos jantar só que depois estávamos tão bem-dispostos e decidimos ir tomar café à ribeira,acontece que estávamos tão bem-dispostos que eventualmente começámos a beber e então dada a descontracção comecei a conversar com a Joana e a ver que era uma pessoa muito afável,um pouco doida,um pouco insconsciente dada a idade mas uma boa pessoa.Eventualmente começámos todos a sair mais vezes e então conheci o Pisco e o Zé Manuel que também eram amigos da Joana.Um certo dia no FEUP caffé eu disse que gostava de ir a um festival e o Pisco prontamente disse que eles iam ao Paredes de Coura e que tinham muito gosto que eu fosse com eles...E assim foi,quase sem dar plo tempo a passar estava eu no Paredes de Coura e conheci uma pessoa também muito simpática de seu nome Catarina.Tinha andado na escola com o Pisco e a Joana e estudava em Coimbra.Lá conheci muito pessoal igualmente interessante, Brandão,Terra,Killer,Rita,Lemos,Barreto,Boss,enfim...enfim um monte de pessoal com o mesmo espírito de convívio que eu quando estava lá.No final do festival a Catarina pediu à Joana o meu mail e começámos a conversar.Daí nasceu uma grande amizade e quando ela foi ao festival do Azurara eu fui com vários amigos ter com ela e conheceu o Zé.Ela convidou-me para ir ao S.Paio que eu desconhecia completamente e fiquei por casa dela uma semana com um monte de pessoal que também conheci na Mi,a Ju,o Moisés,o Gil,o Pedro e o Bernardo.Tudo estudantes de Coimbra desejosos para que eu fosse lá a Coimbra vê-los no final do S.Paio.O que é certo é que o S.Paio acabou e a amizade ficou.E decidimos eu e o Rafa (que também esteve no S.Paio) ir passar uma semana a Coimbra a casa da Ju e da Mi.Entretanto o Zé também apareceu (que também tinha ido ao S.Paio) e ele e a Catarina começaram a interessar-se um pelo outro.No final de contas a Catarina começou a vir ao Porto e a estar sempre connosco e eventualmente ela e o Zé começaram a namorar.E começámos sempre todos a sair juntos e a encontrar-nos todas as semanas e hoje em dia fica sempre um ambiente familiar entre nós.


Agora penso, e se eu não tivesse ficado naquela turma de Processos de Fabrico I? E se o Rafa não tivesse calhado com dois estudantes de Erasmus?E se a Joana não tivesse ligado ao Rafa na altura em que ele estava comigo?E se a Catarina não tivesse ido ao Paredes de Coura?Se ao menos uma destas coisas não tivesse acontecido a minha vida teria sido totalmente diferente...Bastam pequenos acontecimentos que desencadeiam grandes consequências...

E depois disto lembrei-me duma das cenas que mais me fascinou no cinema até hoje,apesar de o filme não me ter fascinado tanto quanto a cena.É um excerto do filme O curioso caso de Benjamin Button e relata ao pormenor a forma como um acidente aconteceu e o título da cena aplica-se a mim "And if only one thing had happened differently":

sexta-feira, 5 de março de 2010

The meaning of life

Mesmo vendo o filme dos Monty Python não o consigo encontrar...O mundo é mesmo um lugar estranho e eu não consigo encontrar motor para me dar um sentido à vida.Às vezes dá ideia que nada me prende nem nada me traz chama de interesse.Não consigo ter motivação..."No time for the motivation...smoking my inspiration".Pareço que falho dia após dia a todos os níveis...Pessoal e profissional....Parece que a vida passa por mim e eu não sinto nada.E o final do dia de hoje a única coisa que senti foi o tempo a passar e nem isso quase...De repente a casa ficou deserta,eu fiquei sozinho e tudo ficou vazio...Adorava ter um botão "Reset" para poder voltar a sentir tudo pela primeira vez para poder a ter a alegria que tinha dantes e a força e vontade de viver...Parece que desapareceu tudo....Mesmo racionalmente sei que tenho de agir e por vezes é difícil,é difícil encontrar algo ou alguém que motive a não ser amigos...Hoje parece que estive acordado sempre com propensão para dormir...Estou completamente anestesiado e dormente...

"Now there's a look in your eyes,like black holes in the sky" (Pink Floyd)
"A criança que fui chora na estrada" (Fernando Pessoa)

Um poema de novembro de 2006 que continua actual:




Noite


Noite…..

Pudesse eu entender-te

Pudesse eu tocar-te

Pudesse eu sentir-te

És a minha conselheira

A minha protectora

A minha constante depressão

A minha droga na vida

E ainda me lembro quando ouvia

“Deita-te e dorme bem”

E me aconchegavam os lençóis

Para eu adormecer em ti.

Hoje, parece que essa relação entre nós

Ficou desconfortável

Não consigo simplesmente chegar e dormir

Entro na introspecção

Na divagação

Na filosofia…

E foda-se!

Porquê???

Para quê tanta angústia?

O mundo é bom? Não, não é!

É mau? Não só, mas também!

E que importa?

“Apetece gritar mas ninguém grita!”

Que me importa do mundo afinal?

O que importa é o meu mundo pessoal e a maneira como posso viver nele

“Abdica e sê rei de ti próprio!”

E no final de contas para quê preocupar-me

Com o mundo deste e daquele

Só entra no meu mundo quem eu deixar

Afinal de contas dou por mim a tornar-me

Num solitário

Numa pessoa que se fecha cada vez mais em concha.

Que não se abre tanto quanto gostaria
Que vê o mundo a passar

E não aproveita o potencial

Por preguiça?

Por insegurança?

Sei lá eu o que é….

No final de contas

Pessoa, tu é que tinhas razão

Que somos nós, homens

Mais que essa dita besta sadia

Cadáveres adiados que procriam…

Tu sim Pessoa talvez não tivesses grandes objectivos

Mas mudaste-nos

Mudaste o mundo

E principalmente mudaste a minha maneira de pensar e personalidade.

Mas não só tu

Eu quis-me mudar!

Talvez numa inconsciência consciente

Ou numa leveza tão brusca que nem deu para me aperceber…

No fundo perdi-vos…

Perco-vos a cada dia que passa

E voltam novos fantasmas

Para me assombrarem

Fantasmas que só querem a minha ruína

Que anseiam pela minha destruição

E que tentam mandar abaixo os meus com mentiras

E ódios… A esses só preciso duma única arma

Indiferença!

Afinal de contas são lixo social…

Insurjo-me contra ti mundo!

E nem te escrevo com maiúscula porque não mereces

Atraiçoaste-me

“A criança que fui chora na estrada”

Faça constantemente revoluções internas dentro de mim

Porque raio é que o mundo não é melhor

Porque raio teve tudo de mudar e não depende tudo apenas

Da minha felicidade em que jogava à bola com 8 anos

Ou quando brincava simplesmente como uma criança com os amigos…

Tempos que não voltam, nem eu vou voltar mas a criança ainda não morreu

Por vezes também ela se insurge porque no final de contas

O Luís é apenas uma criança grande

Que se insurgiu contra o mundo e cresceu

Não porque quis mas porque tinha que crescer

E muitas vezes a criança e mostra-lhe como o mundo pode ser simples

E belo

Apenas com toques

Com momentos

Com um sorriso

Com um olhar

Com um choro

Com uma lágrima

Com um gesto tão simples

Como me deitar no escuro

No meu quarto e pensar “O mundo é meu e posso conseguir tudo!”





P.S.:Joana como hoje não falo contigo é só para dizer que ao contrário dos estudos falaciosos que tu referes o que tens neste momento no nick não o é.E porquê?Passo a citar "Um estudo provou que as pessoas tristes são as mais sucedidas!YEAH!" o que é muito bom e é verdade de facto,bah eu dou o benefício da dúvida,plo menos na afirmação a única parte 100% certa é o YEAH na minha óptica agora o resto não sei isto porque ser sucedido tem duas vertentes.Pode ser-se bem ou mal sucedido...O que significa que as pessoas tristes são mais sucedidas (bem ou mal mas são-no).Portanto desta vez vou dar a mão à palmatória e dizer"YEAH!" desta vez apresentaste um resultado dum estudo não falacioso!